A broncas dos vizinhos
Primeiro semestre - 2003
[Registre sua queixa ]  [As queixas do ano 2.002]
Junho 28, 2003. Eunice, do Jardim Patente, queixa-se que "Estamos totalmente isolados desde dia 20 de outubro de 2002,quando caiu a ponte do Ribeirão dos meninos, que liga São Paulo à São Caetano do Sul, esta ponte fica divisa de Municípios entre Sp e Sc. Os Governantes nos tiraram o direito de IR e Vir. Estamos abandonados, é um tal de joga para São Paulo e São Paulo joga para São Caetano, não sabemos na realidade quem é o responsável pela a obra . Já houve várias reuniões inclusive com o pref.de Sc,Siurb e Daee,ficou tudo acertado que em outubro ou novembro a ponte seria entregue a população e até o momento não houve finalização das negociações das assinaturas dos convênios, etc. não sabemos como anda os encaminhamentos. A população está cobrando de quem não sabemos, a quem vamos cobrar, queremos NOSSA PONTE!!!!!! Queremos ter os nossos direitos de caminhar em uma nova PONTE. Breve será inaugurado e CEU (centro de Educação Unificado e esta obra fica ao lado da ponte de um lado temos o ceu e do outro lado o inferno que ´e a falta da ponte. Precisamos de muita segurança nesse local, devido os estrupos que vem acontecendo nesta local, é um local de muito risco para população que transita pela passarela de pedestre.peço respeito e carinho com a população do bairro do Ipiranga que está passado por estes problemas violentos , sem segurança e sem PONTE!!!."
Junho 27, 2003. Cristiane Mangiullo queixa-se: "Bom Dia,Boa Tarde ou melhor Boa Madrugada....nesta última por exemplo,foi excelente....Os sons ludibriavam o silêncio da madrugada...a trepidação nítida em minha cama,a noite inteira essa loucura, esse êxtase infinito.....
Não é nada disso que vocês estão pensando.Infelizmente não tenho mais aonde recorrer,então resolvi mandar este comunicado,para quem sabe, possam me auxiliar,quem sabe uma alma caridosa,para aliviar esse estresse. Uma fábrica,em aérea residencial,com várias injetoras,trabalhando 24 horas sem descanso. Há 4 anos,estou reclamando,procurando os devidos órgãos de justiça,para que ela resolva seus problemas de poluição sonora,ambiental,visual e sem nenhum êxito,sendo que o proprietário nada se empenha para não incomodar a sua vizinhança.Sua arrogância tamanha,que da última vez que conversei com esse cidadão ele me disse: -"Procure os seus direitos,pois eu não vou parar de trabalhar 24 horas e deixar meus clientes insatisfeitos,apenas por causa de um barulhinho ou uma pequena tremidinha." Mas o seu vizinho,esse sim ,pode ficar insatisfeito,sem as horas devidas de sono,isso não irá prejudicá-lo em nada, os seus tostões,continuarão entrando na sua conta bancária,supostamente,é o que mais importa no momento para este indivíduo. Psiu, dá dia e hora para fazer a medição no reclamado a ele mesmo. Os Bombeiros, pra fazer averiguação de segurança,nem aparecem, ou se aparecem,nem deixam um comunicado para nós,os queixantes,que já não somos anônimos, a muito tempo. A Mooca infelizmente,já não é mais a mesma,com a tranqüilidade dos bons tempos... Esses novos vizinhos,que chegam tomando conta,sem consciência, de onde começa e termina o respeito do próximo,vem atordoando o dia,a noite e principalmente a madrugada,sem o mínimo de consideração, na maior falta de vergonha e de muita leviandade, sendo sempre sua indiferença,penetrante em nosso sono. Aonde recorrer????Encontrar justiça????Quem irá pagar os prejuízos da minha residência???As minhas noites de sono mal dormidas???Quando o dinheiro deixará de superar a dignidade, o respeito ao seu próximo????Absurdamente,o ser humano está perdendo a LIBERDADE em sua própria casa,além de ter que viver como um animal na jaula,agora, até na hora sagrada do sono, não temos o que procuramos e sempre almejamos quando chegamos em nosso lar, na nossa vida, a PAZ, a tranqüilidade do dever cumprido. Será que esse cidadão têem??????"
Nota do editor: Solicitamos à vizinha que identificasse o local: Mariplast Ind. de Brinquedos Ltda, Rua Valentim Magalhães 284, Alto da Mooca São Paulo-SP.
Marlene, do Campo Belo, sugere que "Seria importante que as queixas tivessem data, até porque ficaria mais fácil para saber se as providências já foram tomadas."
Nota do editor: Agradecemos a sugestão, que já está sendo colocada em prática.
Paola G.M queixa-se que "um pedido a CET no dia 21/11/2002, no ano passado,solicitando uma avaliação para que fosse amenizado o problema da entrada da garagem do edifício onde moro (Rua Darwin, 369), pois além de ter um poste junto com uma árvore no meio da entrada, aos sábados a feira começa onde termina a entrada da garagem, assim ocasionando um transtorno aos moradores, pois as pessoas que freqüentam a feira param seus carros em frente a nossa garagem, na guia rebaixada e também em cima da calçada, como ali fosse um estacionamento exclusivo da feira; e o que complica é o poste e a árvore no meio da entrada pois muitas vezes as pessoas pensam que não é guia rebaixada, então bloqueiam a entrada no começo da garagem e bloqueiam a entrada no final da garagem, sobrando um espaço mínimo para entrarmos; e até hoje após vários emails, recebi somente o nº do processo que é 00.00.06652.02*66, e pedindo para aguardar pois a demanda é grande, mas 7 meses de espera é no mínimo uma falta de respeito a nós contribuintes da cidade de São Paulo. Estou pensando em mudar a estratégia e solicitar a mudança da feira, acho que será mais fácil!"
Um vizinho do Itaim reclama de um hotel que "solta água de uso de sua lavanderia, saunas, piscinas, etc... , na rua Martinho Augusto Rdrigues todas as manhãs as 7:45min , estragando todo o asfalto e sujando todos os veículos estacionados nas garagens e na rua, incomodando os pedestres que ali passam, pois a calçada é muito estreita ocasionada pela colocação de postes irregulares de uso do Hotel,também pude ver que todas as madrugadas é descarregado caminhões de agua potável, mostrando desta maneira quem sabe uma irregularidade no uso de esgoto, onde é muito comum grandes consumidores driblarem as empresas de fornecimento de água e esgoto. Aguardo providencias urgentes e enérgicas contra este Hotel que não respeita leis e muito menos seus vizinhos".
Resposta do Gerente Geral do estabelecimento, retransmitida ao reclamante: "Gostaríamos de desculpar-nos sobre o inconveniente causado a este morador e informamos que estamos a bastante tempo rastreando o problema desta água que não é de nossa piscina, lavanderia (pois o hotel não possui lavanderia , é um serviço terceirizado) ou qualquer outro efluente. Solicitamos um pouco mais de tempo para a solução do problema e caso o morador necessite poderá contatar-nos pessoalmente que daremos todas as explicações".
Um vizinho queixa-se da falta de educação e de cidadania de uma adolescente que mora no condomínio Chácara das Flores, na Av. Washington Luís. "No dia 19 de junho, por volta do meio dia, uma adolescente que mora no condomínio Chácara das Flores, que possui uma considerável área verde privativa, saiu com seu cachorro na  Av. Washington Luís só para ele fazer coco a poucos metros da portaria, na calçada, e em seguida retornou à privacidade do seu condomínio. A "lembrança" ficou para os infelizes pedestres que por ali circulam. Que falta de educação!" 
Maria Antonia B queixa-se do número absurdo de cocôs que são deixados pelos donos do cachorros que passeiam pelas ruas do bairro (Brooklin). Infelizmente o cachorro não tem noção de local deve ou não fazer as suas necessidades, por tanto cabe ao dono limpá-las.
Evelyn Hirose queixa-se que rua Rua Graúna, 137 (entre a Av. Santo Amaro e a  Rua Araguari) "mesas na calçada que impedem o passeio público, barulho excessivo. Isso que no meu apartamento já colocamos janelas anti-ruido!! Resolvi ser uma usuária assídua do SAC da prefeitura, agora todas as noites mal dormidas viram reclamação on-line no PSIU. Uma das minhas reclamações(o das mesas na calçada), aparece com autuada, porém o problema continua, quero uma cópia do documento de autuação!"
Resposta da Subprefeitura de Vila Mariana: Em atenção à reclamação da sra. Evely Hirosi, informamos que a nossa fiscalização já fez a apreensão de mesas e cadeiras no local, por duas vezes. A primeira, em abril, com a aplicação de uma multa de cerca de R$ 650. Em maio, a multa foi dobrada, além do recolhimento do material. Quanto ao pedido "quero uma cópia do documento de autuação!", a reclamante deverá solicitar, através de um processo, uma certidão das providencias tomadas, na nossa Praça de Atendimento.
Alberto A.S. queixa-se que na Na rua Vito Bovino possui um passeio publico muito amplo uma verdadeira área de lazer outrora ocupado por aposentados que vém a ela jogar domino ou ler o jornal ,e também por crianças que encontram ai uma das poucas áreas verdes de lazer no bairro ,no entanto desde o inicio da administração Marta Suplicy a área verde esta sofrendo um total abandono ,sem segurança nem iluminação publica o lixo impera e onde crianças brincavam hoje é ocupado até por escorpiões como eu mesmo já enviei uma amostra a subprefeitura de Santo Amaro ,pelo amor de Deus alguém faça alguma coisa pois já cansei de solicitar serviços de conservação iluminação segurança a esta prefeitura e se algo nao for feito logo corremos o risco de termos a nossa área de lazer ocupada definitivamente por marginais ,traficantes,sem contar lixo e escorpiões e outros animais, solicitamos atenção desta subprefeitura para a recuperação de uma das poucas áreas verdes de lazer da região.
Nota do editor: Os registros fotográficos abaixo foram enviados ao Sr. Subprefeito de Santo Amaro.
Queixa rua Vito Bovino Queixa rua Vito Bovino
A.A.F. queixa-se da "destruição feita pelo vendedor de sanduíches (na picape, placa BJE-0295) fez na pça. Dep. Mª Conceição da Costa Neves (confluência da r. Porto Martins com a av. Nova Independência - Brooklin Novo. Destruiu todo gramado existente e cortou árvores, pondo no lugar mesinhas e bancos para seus clientes. Será que nenhum fiscal da sub-prefeitura passa por lá? Já reclamei à sub-prefeitura e não obtive nenhum retorno. Grato se ajudar na reclamação-denúncia". 
Nota do editor: O registro fotográfico do problema foi encaminhado a Beatriz Pardi, Subprefeita de Pinheiros. O "estabelecimento" foi removido da praça, e agora oferece seus serviços na Nova Independência.
Alex Mavian queixa-se que do buraco no ponto de ônibus do corredor dos ônibus na Av: Santo Amaro x Vieira de Moraes sentido bairro: "Estava eu correndo para não perder um ônibus, pois tinha uma audiência e por isso estava com pressa. No meio daquele ponto de ônibus tem um buraco, de tamanha suficiente para fazer qualquer um tropeçar. Eu infelizmente fui vitima deste, e as conseqüências foram: Bati com o joelho no chão e por isso fiquei com o mesmo enfaixado durante 5 dias, perdendo dia de trabalho, sem dirigir e ficar parado feito bobo em casa. Gostaria de saber quem vai tapar aquele buraco, pois se um senhor de idade cai ou um deficiente físico cai as conseqüências são piores.
Ora não é a Prefeitura que quer melhorar o sistema de transporte municipal, poderiam começar a melhor a condição do corredor. Queria que isso fosse encaminhado a alguém de dever.
M.T. queixa-se do descaso e da má administração da síndica de seu prédio: Gostaria de deixar aqui minha preocupação e desespero, provenientes do descaso e da má administração da síndica de meu prédio. Ano passado, foi instalada uma antena de telefonia celular em cima do meu prédio, na R. Tabapuã 222. Fui pesquisar com um engenheiro, que me disse que estes aparelhos emitem ondas em um raio de até 10 quilômetros, afetando não somente os residentes do prédio, mas também os moradores de toda a rua. Pois bem, como a administração do prédio só pensa em dinheiro, pouco se preocupou com a saúde das pessoas. Tentei procurar ajuda, tanto na polícia, quanto no CONTRU, mas o descaso e a falta de ajuda e de informação das autoridades, me deixou sem saber o que fazer.
Como se não bastasse tudo isso, hoje estão instalando, sem a autorização da construtora e de um engenheiro, uma nova antena de telefone.
ALÉM DE PREJUDICAR AINDA MAIS A SAÚDE DE TODOS, NÃO SABEMOS SE A ESTRUTURA DO PRÉDIO SUPORTA TAL PESO.
É UM VERDADEIRO ABSURDO O QUE A IRRESPONSÁVEL DA SÍNDICA ESTÁ FAZENDO, E O DESCASO DAS AUTORIDADES. OBVIAMENTE AQUI NO BRASIL SÓ TOMAM ATITUDES, DEPOIS DE ALGUMA CATÁSTROFE !!!!
POR FAVOR, PRECISO DE AJUDA PARA SABER QUE ATITUDES DEVO TOMAR. ISSO É SÉRIO, PREJUDICA OUTROS MORADORES, NÃO APENAS EU E MINHA FAMÍLIA !!!!!
M.L.T. queixa-se da "proliferação dos botecos em nosso bairro (Itaim Bibi), o que acarreta bêbados, assaltos, barulho, e muito desrespeito aos moradores do bairro. Na Rua Renato Paes de Barros, existem dois destes estabelecimentos, ao lado da loja de revelação de fotografias. De dia, ocorre o ilegal jogo do bicho em um destes, e a noite, os botecos colocam mesas por toda a calçada fazendo com que nós transeuntes, caminhemos pela calçada !!!!! É um verdadeiro absurdo, crinaças que saem dos colégios e idosos, tendo que caminhar pela rua !!! Já que não temos como nos livrar destas pragas que são os botecos, teria como pelo menos ocorrer uma fiscalização nos locais ?!?!?!?"
Nota do editor: Ante a solicitação da Sra. Subprefeita quanto a informações adicionais, o reclamante respondeu: "O número do estabelecimento é 529, ao lado da loja de fotografias Tangran. O jogo do bicho é praticado diariamente em frente ao local, por uma menina que fica atrás de uma lousa. A colocação das mesas é feita a partir das 18, 18h30, além do churrasco, o que impossibilita o tráfego pela calçada." As informações foram retransmitidas à Subprefeita.
LC queixa dos "travesties em atos obscenos andando livremente e na frente da polícia no bairro de Moema, mais precisamente na Al. Tupiniquins, Al. Guaramomis, Av. Divino Salvador, Av. Moema".
Nota do editor: A queixa do vizinho foi transmitida as autoridades policiais. Clique e leia a reportagem sobre o assunto oportunamente publicada.
Daniel V.S. queixa "dos "carroceiros" que jogam desde entulho, lixo, móveis, peças de carros, etc na Rua Antonio de Oliveira esquina com a Eng° Mesquita Sampaio. O primeiro culpado são os moradores/estabelecimentos do bairro que acreditam que por um troco eles levam tudo pra recliclagem! Engano! Eles viram a esquina e tombam tudo na "minha" rua! Lixo é lixo, se cada um cuidar do seu, tudo seria melhor!"
Valéria Hartt, que mora na Chácara Santo Antonio, diz que " há tempos venho pedindo providências à Administração Regional, no sentido de remover o lixo/entulho despejado sistematicamente na altura do número 1200 da rua Henri Dunant", e afirma que "nenhuma providência foi tomada"
Nota do editor: Após efetuarmos registro fotográfico do problema (fotos acima), enviamos a reclamação junto com as fotos ao Prof. Benjamin, Subprefeito de Santo Amaro, que ordenou a limpeza do local. Poucos dias depois, o local estava novamente tomado por entulho, jogado por carroceiros a serviço dos próprios vizinhos do bairro! Entretanto, o mato à beira do córrego foi removido.
Lizardo queixase de Perturbação e Falta de fiscalização: "Na Rua Urussui estão construindo um grande galpão onde dizem que será uma churrascaria. Ocorre que não há placa alguma de autorização da Prefeitura para a obra, de modo que está aparentemente irregular. Outrossim, me parece que não há licença para restaurante no local. Será que a prefeitura vai deixar tudo ficar pronto para depois tentar agir? Solicitei providência na Regional e nada aconteceu. A obra continua a todo vapor. Caso Adriano's bar, Toda sexta feira continua a bagunça. A calçada é tomada por todo tipo de gente. O som altíssimo atrapalha. A Polícia? Assiste encostada no carro. A Prefeitura? Essa, acredito que nunca foi ao local".
Uma vizinha queixa-se da falta de policiamento e solidariedade na Rua Salvador Cardoso, entre as ruas Horácio Lafer e Tabapuã: "No dia 28 de maio por volta das 18h20min, caminhava na presença de uma amiga e levei um soco no rosto sem mais nem menos, por um rapaz de atitudes suspeitas. Não tentou levar a minha bolsa e nem nos assaltar, simplesmente me agrediu e foi embora. Caí na frente de um prédio de alto padrão com vários seguranças, mas não fui socorrida por eles e sim por umas senhoras que andavam na mesma rua e acharam a atitude desse moço uma barbárie.Segundo informações que obtive, esse moço vive no bairro. Hoje eu levei um soco e estou com as marcas na minha boca e no meu corpo, amanhã é outra pessoa que pode sofrer uma violência pior num bairro tão maravilhoso como o Itaim. "
E.V.B.M, vizinho do Brooklin, queixa-se: "Ficamos sempre muito irritados com todo o barulho provocado pelos cães da Região. Os coitados permanecem em suas jaulas, casas de pouco espaço para criarem animais de tal porte, e o tempo todo ficam latindo e super irritados com qualquer coisa que acontece na rua. Alguns visinhos com certeza não tem alimentado seus cães. Saem muito cedo para de certo trabalharem e os coitados ficam a Deus Dará. Alguns moradores que permanecem em suas residências durante a maior parte do dia é que sofrem e muito. O barulho é enlouquecedor. A culpa simplesmente é dos próprios donos que não tem nenhum bom senso. Se querem guardas para suas casas na certa estão utilizando o método errado. Por que não trocarem os animais por outro método. Ponham alarmes em suas casas, ou outra solução qualquer mas deixem visinhos em PAZ. POR MISERICÓRDIA, SOLICITAMOS ALGUMA SUGESTÃO. JÁ SOMOS MORADORES ANTIGOS E TIVEMOS EM OUTROS TEMPOS OUTRO NÍVEL DE BAIRRO. O que pode ser feito para melhorar? "
Denize R.M.S queixa-se que na Av. Santo Amaro, altura do número 2400, "funciona um bar chamado "Lanchonete Esquina do Côco Verde" que funciona somente à noite. Começa o transtorno às 6.as feiras, lá pelas 22 horas, terminando às 4 da manhã do sábado. E continua transtornando a vizinhança no mesmo horário dos sábados. Lá colocam mesinhas na calçada (sim, porque o interior do estabelecimento não deve ter 10m2) e os freqüentadores se divertem com um "karaokê" à todo volume, também instalado na calçada. E a gente é obrigado a ficar ouvindo a cantoria desse povo a noite toda! Á polícia diz que não pode fazer nada e o serviço da PMSP "PROJETO PSIU" não dá jeito..."
D.H. solicita que "as autoridades competentes, fizessem algo para melhorar as condições da passarela Marcelo Fromer, localizada na Av. Juscelino Kubitschek. A passarela que deveria servir para que os pedestres atravessassem com segurança a avenida, está à tempos servindo de abrigo para mendigos e desocupados. Nela, além de dormirem, espalham lixo, urinam e defecam constantemente, utilizam drogas, e até praticam sexo no local. A travessia da passarela, da altura do nº 1.726, para o lado oposto (Academia Runner), é uma aventura. Em um ponto do Itaim, que dispomos de poucas opções de restaurantes, é desestimulante pensar em atravessá-la, para poder ter mais opções para almoçar e sentir todo o mau cheiro característico do local. Espero que mais pessoas que fazem ou tentam fazer uso da passarela, tomem atitudes semelhantes à minha, para que consigamos um dia, usufruir de uma obra imponente, e que com certeza, não saiu barato aos cofre públicos (nossos bolsos)!!!"
Resposta: A Subprefeitura de Pinheiros nos informou que o serviço foi efetuado, e nos enviou duas fotos (que retransmitimos ao reclamante) comprovando a limpeza do local.
Marcio Moreno Trindade, que é taxista, reclama: "trabalho com carro de frota na região de Moema, no dia 26 de fevereiro ultimo efetuei a inscrição no processo de licitação da prefeitura para o recebimento de um alvará de estacionamento de táxi, gostaria de externar minha indignação com o desrespeito com que o profissional taxista é tratado pela prefeitura, pois até hoje, passados mais de dois meses não tivemos nenhuma informação concreta a respeito dessa licitação,encontrei a pagina de vcs então resolvi externar minha indignação na esperança que vcs possam tornar isso publico e assim quem sabe a prefeita tome consciencia de que a cidade depende de todos os profissionais para funcionar, e que nenhum tem mais valor que o outro, ou será que foram abertas incrições somente para dar falsas esperanças e acabar com as manifestações da categoria?"
A.B.L., que mora na Av. dos Imarés (Moema), diz que fica "indignada com a falta de respeito dos supermercados Pão de Açúcar e Natural da Terra. Além deles bloquearem quase toda a rua com seus caminhões de carga e descarga, fazem DE NOSSAS CALÇADAS UM VERDADEIRO LIXEIRO. Precisamos caminhar no meio da rua entre os carros, porque não há espaço, há sim sujeira, mal cheiro - é vergonhoso. Eles são proprietários de seus estabelecimentos, mas a calçada é pública, sou eu, meus vizinhos que pagamos impostos, que por sinal são altíssimos, para que possamos viver em um lugar limpo, com segurança .... pelo menos é isto que deveríamos receber, por direito. Por favor, autoridades, precisamos de providências!!!!!!!!"
Paulo Augusto Antunes Lacaz de Bananal (SP), pergunta: O que devo fazer contra o poder, que não cumpre o seu dever? Clique e leia
Marcia A.F diz que não consegue atravessar a rua Antonio Rosa Ramos, esquina com a Apolonio de Tiana: "Pela manhã e na parte da tarde não conseguimos fazer a travessia nesta rua. Existe alunos que vão para a escola, trabalhadores que não são respeitados pelos motoristas. Por esta razão solicito que sejam tomadas providências junto ao departamento de Trânsito".
M.L.T. diz que "Gostaria de entender porque a saída e entrada do colégio barulhento Ludovina, se dá pela Rua Tabapuã (NR: Itaim Bibi), e não pela Rua Jesuíno Arruda ??? A Tabapuã, é uma rua com tráfego intenso, e probido estacionar e parar o veículo das 7:00 as 20:00. Quando os pais dos alunos vão ao colégio, estacionam seus veículos na rua, dificultando o trânsito caótico da mesma. Em contradição, a Jesuíno Arruda, é uma rua tranquila, onde é permitido estacionar e parar seus veículos. A própria CET já disse da violação da lei, mas a diretora do colégio não toma nenhuma providência.
Alex Mavian diz que "A cidade parece um queijo suíço. Principalmente no Campo Belo as ruas estao cheias de buraco. Isso é um absurdo, tem um na Rua: Constantino de Sousa alt, 437. É um absurdo. Parabenizo a Dona Marta do PT, que acredito estar pensando em cobrar a taxa para tapar buracos. Para onde vai o meu dinheiro do IPTU? Quem vai responder? Um abraço para a dona Marta, a sua gestão vem sendo muito boa, mas olha para de criticar o Pitta, e se olha no espelho".
Uma vizinha do Itaim Bibi queixa-se do "barulho diário provocado pelos alunos e professores da escola Ludovina C. Peixoto, que incomoda muito, principalmente os idosos e crianças pequenas, que dormem durante o dia. Sei que às vezes é inevitável, mas muitas vezes a gritaria e o ruído que provocam é desnecessário."
A.B. diz que "há alguns anos que venho brigando para acabar com a prostituição aqui na minha rua (Rua Manoel Guedes) e imediações. Já frequentei várias reuniões do Conseg mas cansei. Lá nada é resolvido. É só políticos e policiais querendo aparecer. No último sábado, quando chegava em casa com minha família, por volta de 00:30 hs., uma das prostitutas estava trajando apenas 2 peças de seu vestuário. "OS SAPATOS E A CALCINHA". Não acreditei no que vi. Mais uma vez fui até a delegacia, mesmo sabendo que de nada iria adiantar. Ficaram de passar aqui para ver o que acontecia. Retornei ao meu prédio e, como sabia que a polícia não iria passar, fiquei até as 04:00hs., observando a movimentação da rua. Os carros paravam, abriam os vidros, conversavam com as moças que se dirigiam até a entrada da loja Macau, pegavam alguma coisa e entregavam para os carros. "A MEU VER SÓ PODE SER DROGA" Como já havia falado para o delegado geral do bairro, Sr. Sayão, um dia iriamos chegar nesse ponto, e chegamos!!!! É um grande absurdo a polícia nada fazer para o bem estar da população.....
T.F. implora que "as viaturas da CET dêem algumas inspeções relâmpago na Rua Olavo Bilac nos horários de entrada e saída dos alunos, pois carros de escolares, mães e pais sem o mínimo respeito pelo próximo, simplesmente deixam seus carros parados em fila dupla, com pisca alerta (como se isso facilitasse) e sem ninguém para retirar o carro. Hoje, 24/03, em torno das 17:15 h estacionei meu carro nas vagas destinadas a uma clinica médica ao lado da referida Escola, e um Renault Scenic Preto, placas DIO-0918, simplesmente obstruiu a minha saída, assim como outros carros em fila dupla. Fiquei por quase 20 minutos, irada, esperando que a mamãe exemplo viesse tirar o carro, tendo que ouvir ainda que eu não era mãe para compreender isso, ou, que se era, devia fazer o mesmo !!! Nem vou discutir tópicos de educação e respeito, mas vou implorar que uma viatura pare ali, quem sabe a dignissima mãe entenda por outros meios como dar bons exemplos aos seus filhos.
Resposta da redação: O problema é antigo, e deve-se fundamentalmente à falta de educação de muitas mães que freqüentam essa escola, e à própria escola, que nem sequer digna-se abordar o problema.  Tentar qualquer providência junto à CET é extremamente difícil. O governo Marta Suplicy arrecada aproximadamente R$ 400 milhões em multa por ano. Por Lei, 95% desse valor deve retornar à CET, para ser aplicado em campanhas educativas, sinalização, etc. Em vez disso, nossa Prefeita prefere torrar R$ 50 milhões em propaganda e diminuir o orçamento da CET, sucateando a empresa. A conseqüência é que a CET sumiu da cidade, atuando só nos grandes engarrafamentos ou pontos de congestionamento.  Some-se ao problema a falta de uma sociedade de bairro organizada aqui na Vila Sofia (é esse o nome da região da Rua Sócrates e imediações) e temos o caos total.  De qualquer forma tentaremos contato com o GET-5 (o setor da CET encarregado da Região) para ver o que é possível fazer.
"Silêncio, preciso dormir...". André Vinicius reclama: "Venho por este meio de comunicação, solicitar para que providências sejam tomadas junto a órgãos públicos competentes, pois não suporto mais o intenso barulho provocado (durante toda a madrugada) por obras em vias públicas e conseqüentemente, suas máquinas (caminhões, tratores, retro-escavadeiras, britadeiras, geradores - além da gritaria), tendo em vista que o problema vem afetar de forma negativa no desempenho pessoal e profissional dos moradores locais. Sabedores de que todo ruído que causa incômodo pode ser considerado poluição sonora. A noção do que é barulho pode variar de pessoa para pessoa, mas o organismo tem limites físicos para suportá-lo. Barulho em excesso pode provocar surdez e desencadear outras doenças, como pressão alta, disfunções do aparelho digestivo e insônia. Distúrbios psicológicos também podem ter origem no excesso de ruído." Visando exercer plenamente o direito de cidadania, sinto-me no dever de relatar os fatos que seguem provocando problemas de saúde pública.  Sou morador do imóvel situado entre o cruzamento da Av. Lins de Vasconcelos com a Rua Dom Duarte Leopoldo, no bairro do Cambucí (zona sul) e gostaria de deixar registrada minha reclamação sobre a poluição sonora constatada nos últimos meses. Para indignação geral, numa madrugada de outubro de 2002, iniciaram-se obras de reparos nas tubulações de gás, executadas por empresas como: Engibras s/c ltda. e Arecco Brasil ltda., terceirizadas à serviço da Companhia de Gás de São Paulo (Comgás). Nas primeiras semanas, o barulho gerado foi excessivo e insuportável - isso além da sujeira e da poeira. Após consecutivas noites de perfurações, vários buracos (menores e um enorme) foram cavados no local citado. Nos meses seguintes, este buraco enorme foi aberto e fechado por mais de seis vezes, sem uma solução imediata aparente. Passados cinco meses, as empresas mencionadas ainda não conseguiram solucionar os problemas nas tubulações e o barulho piorou cada vez mais. Atualmente coberto por gigantescas placas de ferro, que durante o dia, somos castigados pelo barulho do tráfego de veículos em sua superfície, de madrugada estas placas são deslocadas por retro-escavadeiras, provocando um insuportável barulho e tremor nas paredes dos imóveis mais próximos.  Seria interessante ainda observar que o serviço se inicia (quase que diariamente), às 22:00 hs e não tem hora para acabar, onde a obra prossegue produzindo todo o tipo de ruído possível madrugada adentro, fazendo barulho ensurdecedor, contribuindo com a violação dos direitos dos cidadões e flagrante desrespeito ao bem-estar da comunidade.
Para completar, recorri a Prefeitura do Município de São Paulo e a Administração Regional Sé, que me instruíram a entrar em contato com a Polícia (190) para solucionar esse tipo de ocorrência. Deduz-se então, que a lei do silêncio é praticamente impossível de ser cumprida, o que permitiria, em tese, a execução de qualquer obra em vias públicas que dessem origem aos ruídos. Portanto, gostaria de saber em primeiro lugar, se o "horário de silencio" é realmente obrigatório entre as 22:00 e 08:00 hs da manhâ, segundo, se é permitido os ruídos produzidos por tais obras, (fontes diversas móveis e automotoras) que perturbam o horário de descanso do trabalhador. Fico refletindo, se não caberia a Administração Regional responsável reavaliar os horários dos alvarás expedidos, para serem objetos de fiscalização por parte da Coordenadoria do Programa Silêncio Urbano ? Perante os transtornos causados, não poderia ser considerada uma infração e deveria estar caracterizada nas regras estabelecidas pela Lei do Psiu (Programa de Silêncio Urbano), que regulamenta a emissão de ruídos na cidade de São Paulo ? 
Caso contrário, sugiro que sejam efetuadas em caráter de urgência, alterações nas atuais leis vigentes, para que possamos desfrutar de um direito fundamental, em respeito e consideração aos cidadãos cumpridores dos deveres tributários impostos pelos órgãos públicos. 
No aguardo de uma solução positiva, André Vinicius "
Eis a opinião do Eng. Carlos Nunes, nosso colaborador da seção Legislação Municipal:
"O gigantismo e grandeza desta Cidade e de seus cidadãos põe a Prefeitura em situação complica, se não vejamos: A CET, para não provocar enormes congestionamentos na Cidade, somente autoriza execução de obras nas vias públicas à noite, depois das 22:00 até 5:00 horas ou de sábado após as 13:00 horas até segunda às 5:00 horas. Perfeito, resolveu o problema de não congestionar e portanto não irritar milhares de pessoas por causa da obra. Perfeito? E os moradores? Como ficam? São obrigados a suportar, na sua hora de descanso ou lazer barulhos infernais de obra como vc está comentando? Pois é, o CET entende que sim, pois a maioria está sendo beneficiada e, portanto, não estão agindo errado. Será? Reclame oficialmente no site da prefeitura www.prefeitura.sp.gov.br para verificar o que respondem caso o problema não seja resolvido
Nota da redação: A Legislação somente trata da emissão de sons em ambientes fechados (danceterias, etc). O Governo Municipal omite-se ao instruir o munícipe a ligar para o 190, que nada tem a ver. Mas é possível, sim, registrar um Boletim de Ocorrência na Delegacia do bairro, por Perturbação de Sossego.
Carlos J. C. queixa-se que na Estrada da Cocaia (Próximo a Escola Levi Carneiro) Existe Linha de Ônibus 6085 (7 Setembro - Santo Amaro) e Perua de Lotação (Santa Fé - Santo Amaro) que trafegam por essa rua, onde faz parte do Itinerário das mesmas. O problema é que essa rua não é ASFALTADA, causando assim uma nuvem de poeira toda vez que passa um Ônibus, Perua, ou qualquer outro veículo. Isso está causando até Problemas Respiratório em muitos dos moradores. Peço por gentileza que seja tomada as devidas providencias para sanar tal Problema que já está há muito tempo e ninguém faz nada para colaborar. Lembrando ainda que essa Rua já consta como ASFALTADA, na Prefeitura. Sem mais fico no aguardo de uma resposta.
F.S. queixa-se do trânsito de veículos pesados e poluidores em Zona 1, no Brooklin: "mudamos recentemente, eu e minha família para o bairro.  O imóvel parecia confortável (e é) e adequado à nossa família, e em zona 1, longe de prédios. Gostamos da vizinhança e da área comercial e demais comodidades do bairro. O que nos afeta profundamente é o intenso trafego de ônibus, caminhões e motos, mesmo aos sábados e domingos7. Perguntamos: é permitido legalmente o tráfego de veículos pesados e altamente poluidores como ônibus e caminhões em zona 1, portanto residencial? soube que houve um abaixo assinado ou sugestões para que as três linhas de ônibus (ou mais, não verificamos ainda, nossa mudança é recente) fizessem a CURVA a algumas quadras, mais perto da área em que há edifícios, que nao sofreriam tanto com intenso barulho e poluição, como os moradores dos sobrados próximos, nem sofreriam tanto com a tensão de uma colisão com o muro. Obrigados por tudo"
Patrícia Casanova denuncia Prostituição, Racha, Drogas e Máfia dos estacionamentos no Itaim: "Venho por meio desta rogar-lhes assistência urgente. Nós, moradores da rua Carla, Itaim Bibi, estamos há algum tempo enfrentando problemas sérios, que vêm se intensificando desde janeiro. A rua Carla é uma pequena rua em L, de único sentido, que começa na Pedroso de Alvarenga e termina na Manoel Guedes. Aqui, a calçada é a do tipo passeio, bem larga; e a rua, bem estreita. Como as casas são antigas e pequenas, não temos a possibilidade de garagem. Só apenas 2 casas possuem garagem, pois englobam dois terrenos. E como a rua Carla é muito estreita, mesmo essas casas que possuem garagem podem não conseguir tirar o carro e manobrar se houver veículos nos dois lados da pequena rua. Aqui, temos casas residenciais (como é o meu caso) e escritórios. O que vem acontecendo há muito tempo é o uso da rua como estacionamento. As pessoas simplesmente deixam seus carros aqui às 6 da manhã e só os buscam de madrugada. Eu, que trabalho e atualmente sou professora de inglês, preciso do carro e fico dependendo de vaga na rua para usar o carro durante o dia. Se eu sair daqui é um pouco provável que só venha a ter vaga na rua a partir das 20h. Isso até ontem,pois agora os manobristas dos bares das ruas adjacentes “descobriram” a rua Carla e estão “fazendo a festa” aqui, estacionando vários carros de clientes aqui e não deixando espaço para nós, os moradores, que pagamos os nossos impostos em dia! Eles não respeitam nem as garagens! Sou recém-moradora daqui e saí do Brooklin achando que acharia o mesmo sossego de lá. Até o ano passado, quando vinha aqui de final de semana à noite para deixar meus móveis, a rua à noite ainda era tranqüila. Mas esse inferno se intensificou esse ano. Além disso, apesar de o Café Photo ter saído da região (vitória essa dos moradores), as prostitutas de rua ainda permanecem com seus pontos nas ruas Manoel Guedes e Pedroso de Alvarenga,fazendo barulho de madrugada e perturbando a paz social. Elas fazem de motel a minha rua e eu, como outros moradores, várias vezes encontramos camisinhas penduradas em nossas janelas, maçanetas ou jogadas na rua. Fui forçada a gastar mais de MIL REAIS (o que apertou consideravelmente meu pequeno orçamento) em vasos romanos para a frente da casa (já que as portas dão para a rua), luz de presença e holofote para tentar inibir a presença dessa gente.Mas elas ainda fazem a rua de motel, já que a rua Carla é erma, escura e não há policiamento. Todas as noites, playboys apostam corrida, dando cavalo-de-pau, na Pedroso de Alvarenga – a velocidade deve ser altíssima, já que conseguimos ouvir de nossas casas! Semana passada flagrei inclusive seis garotos fumando maconha na frente da casa que faz frente à minha. O que deve ser prática comum aqui. Pedimos a atenção dos senhores para nosso problema, pois é sério. Os moradores já colocaram uma vez um portão na rua, mandaram vários pedidos para as administrações passadas para o fechamento da rua, mas o portão foi retirado e segundo os antigos moradores, a rua Carla voltou a ser o inferno que é hoje. Segundo esses mesmos vizinhos, alguns moradores de prédios das ruas próximas na época reclamaram com a Prefeitura e o portão foi tirado. Motivo da reclamação deles: com o fechamento da rua, eles não podiam mais deixar seus carros aqui, na rua Carla, fazendo deste local uma espécie de estacionamento privado – provavelmente essas pessoas só possuem 1 garagem e mais de 1 carro. Estamos fartos disso tudo. Os antigos moradores estão descrentes com o governo e irritados com os problemas de segurança, que vêm aumentando a passos largos. Desistiram de lutar. Mas eu não. Peço a vossa atenção para esse problema sério, pois daqui a pouco os marginais vão estar tomando conta do bairro, não só de minha rua, se é que já não o fizeram... Não nos importamos de reduzir as calçadas. Gostaríamos muito que a rua fosse fechada, pois fechada não implica em congestionamentos ou dificuldades no trânsito, pois agora a Pedroso de Alvarenga nesta quadra tem mão dupla e o condutor que quiserir para a Nove de Julho sentido Bandeirantes pode fazer o mesmo percurso, entrando nas ruas (até bem mais amplas) Pedroso de Alvarenga / João Cachoeira / Jesuíno Arruda / Manoel Guedes e por fim, Nove de Julho. Só colocar zona azul resolve apenas o problema de estacionamento durante o dia, mas a audácia dos manobristas que estacionam os carros de seus clientes na rua Carla (que deveriam estacionar nos devidos estacionamentos) fica sem solução com essa medida, colocando a nós, cidadãos de bem, a mercê dessa máfia. Estamos nos sentido reféns dessa gente. Reféns e sem voz. Mas a minha voz, a voz de uma jornalista, não vai se calar até conseguirmos arranjar uma solução para esse problemão. Por favor, nos ajudem. Estamos desesperados e impassíveis, e achamos que com a nova administração do PT, voltada para o social, e a boa-vontade dos governantes e o esforço dos moradores, podemos finalmente colocar um ponto final em tudo isso. Grata pela atenção e um bom dia a todos. Estou totalmente à disposição dos senhores."
K. O. queixa-se que na rua Demóstenes, entre as Avenidas Santo Amaro e Vereador José Diniz há "Vários buracos na rua que estão ficando cada vez mais grandes devido aos veículos passarem por eles. Não estão sendo tratados há mais de um mês."
Ana Rosalina Rodrigues Vaz de Andrade Benedito queixa-se: "Comprei em 15/02/2001 por 780,00 uma multifunçao HPofficejet 725 vendida como solucao para pequenas empresas pois agrega fax, scanner e impressora. Apresentou defeito em janeiro e a enviamos para uma autorizada HP, o valor do orcamento 1070,10, sendo que 970,00 em duas peças. O valor de mercado atual para compra de uma nova é de 990,00(propria HP) concorrentes até mais baratas. A ouvidoria da empresa disse que nao tem nada para fazer ao nao ser joga-la no lixo ou pagar o conserto. Sexta feira ultima recebemos uma ligacao nos informando que poderiamos trocar esta maquina + 700,00 por outra numa assistência HP, sem cabos, manuais ou garantia, adequado ao nosso caso. Eu nao comprei este equipamento no exterior comprei aqui,ninguem me disse que quando quebrasse eu teria um custo superior ao valor do equipamento. Acho isso tao absurdo, que sucata cara. Tenho NF e orçamento alem do registro da reclamação pela internet para confirmar tudo. Gostaria que todos soubessem.
Um vizinho queixa-se do barulho dos helicópteros no Jardim Aeroporto: Apesar de ter participado das oficinas e plenárias em Dez/02,e já ter botado a minha boca no trombone com relação ao problema que já há algum tempo nos aflige,não custa nada utilizar este providencial espaço para relatar-lhes o motivo da nossa indignação. Ele se refere ao heliporto da Lider Taxi Aéreo localizado à rua Haroldo Paranhos,400 no jardim Aeroporto, próximo à Congonhas. É um verdadeiro inferno,sem contar o descalabro com que alguns pilotos (que deveriam estar mais preocupados com a integridade física de tantas famílias que habitam a região), conduzem seus helicópteros. Pegam atalhos, transitam extremamente baixo,em desacordo com a legislação,sem contar o ruído estressante originado por essas aeronaves. Por diversas vezes reclamei junto à empresa,êles alegam que os pilotos são orientados sobre a norma para pousos e decolagens,mas que alguns não as obedecem. Em dia de fórmula 1,sou invariavelmente obrigado a sair da minha própria casa pois não há como agüentar o ruído. Será que a Prefeita a quem eu confiei meu voto tem consciência do problema que vivenciamos dia após dia? Será que não há lei para essas aeronaves? Comuniquei o PSIU,pois considero que algo tem que ser feito, não podemos estar expostos a esse ruído que com certeza extrapola o permitido por norma. Não se fala ao telefone, não se assiste a um jornal, não há concentração que resista. O ruído está incorporado em nossas vidas das 6,00hs às 23,00hs implacavelmente. Não posso admitir que se permita a instalação de um heliporto da maneira como este se encontra. Ele deveria estar localizado internamente ao aeroporto,e não,voltado para as residências. Nossos imóveis estão sujeitos a uma vibração constante e excessiva, ocasionando rachaduras diversas. O deslocamento de ar em função da baixa altura de vôo ocasiona o deslizamento de telhas que podem originar por conseqüência uma série de infiltrações. A qualidade de vida que desfrutávamos no bairro está irremediavelmente perdida,ou podemos confiar no bom senso e sensibilidade dos nossos governantes? Peço aos leitores desta coluna que se interessarem pelo problema acima abordado,ou que morem nas imediações,que se comuniquem conosco pelo e-mail abaixo. jessaba19@yahoo.com.br
K.A.G queixa-se de uma placa de proibido estacionar a mais ou menos 8 metros de uma esquina numa rua pequena da vila: " Moro nesta rua (NR: Rua Francisco Rey Parrado) há 5 anos, meu marido há vinte, a rua tem mais ou menos 30 casas, onde a maioria dos moradores são antigos na rua como meu marido. Após a vinda de um vizinho SÁDICO que NÃO SABE ESTACIONAR O PRÓPRIO CARRO NA SUA GARAGEM, pediu uma placa de proibido estacionar, para que tivesse a rua livre para conseguir colocar o carro dentro da garagem. Chamo-o de SÁDICO, pois fica na janela da casa esperando que alguma pessoa TONTA ponha o carro onde está a placa para que ele possa se satisfazer chamando o DSV para aplicar multas nos carros. Enquanto isso, o DSV não se preocupa com o cruzamento da Nossa Senhora do Sabará onde há um farol de 03 fases, com entrada para a Rua Pajaú, onde motoristas MALUCOS não respeitam o sinal de virar a esquerda e ficam querendo atropelar quem aguarda o sinal verde para fazer a conversão à esquerda, ou ficam na faixa de retorno e quando o farol fecha para seguir adiante e abre-se o farol de retorno, "os bonitos" ficam parados não deixando quem tem a prioridade de fazer a conversão. Acredito que isto é muito mais importante para SP, do que uma "ridícula" placa de proibido estacionar quase em uma esquina, a Vila inteira não tem uma placa de proibido estacionar já que é um lugar calmo. Acredito que SP, têm outras RUAS E AVENIDAS muito mais importantes que REALMENTE necessitam de uma placa de proibido estacionar. Uma placa importante está sendo utilizada em uma rua, quase sem importância, PARA A GRANDE SÃO PAULO. Enquanto isso.....Vidas podem ser perdidas na colisão traseira na Av. Nossa Senhora do Sabará, e o DSV e CET não tomam providências, cansei de passar no posto de "DSV", na rua Darwin pedindo ajuda aos Senhores Guardas, mas nada nunca é feito. Apenas uma única vez, um guarda da CET ficou no cruzamento, único dia em que os motoristas e pedestres puderam atravessar e fazer a conversão sem problemas. Pois PERUEIROS, LOTAÇÕES, ÔNIBUS, SÃO AQUELES QUE MENOS RESPEITAM OS FAROIS, AINDA ACONTECERÁ UMA ACIDENTE COM VÍTIMAS FATAIS!!!!!!!!! Será que só aí, o DSV, CET, e a Prefeitura farão alguma coisa? Peço que por gentileza peçam providências para os responsáveis!!!! Desculpem, mas foi um desabafo e acredito que muitos que moram nas imediações também pensam o mesmo."
Mauro dos Santos queixa-se dos bares, boates e demais casas noturnas: "Não é possível que estes estabelecimentos só pensam em lucrar, e alem dos transtornos, por exemplo,ruído excessivo e trânsito ...ainda não investem em segurança,congestionando as linhas do 190,e utilizando toda a frota do 12batalhão da PM para atender inúmeras ocorrências que vão de brigas a perdas de comanda...perguntem a qualquer policial da região...o problema começa já nas quartas feiras ,piorando nas quintas,sextas e sábados,virou palhaçada. Se o seu carro ou sua casa for assaltada numa madrugada de quinta pra sexta por exemplo,e vc morar do outro lado como Av. Morumbi (parte Brooklin) ,vc tem uns 90% de chance de ser atendido com muito atraso...onde será tarde demais! Culpa não da policia, mas destes estabelecimentos que surgem em meio a residências ,sempre com um empresário por traz que sabe lidar com multas e economia de gastos,nem ai para a segurança dos próprios clientes,que muitas vezes vão se divertir e acabam com nariz quebrado em uma delegacia!(muitas vezes pelos próprios seguranças)".
Rosângela queixa-se da devastação das árvores no Campo Belo: "Estou indignada, nesta cidade já tem pouco espaço verde e bairro bem arborizado é muito mais valorizado. Estão destruindo as arvores que estão a muito mais tempo que até mesmo nós moradores. Exijo um programa de Arborização ao bairro inclusive no lugar das favelas porque não aproveitar o espaço???"
Marcello de Lima Tardivo queixa-se que "Há mais de um mês, que todos os domingos estão reformando a fachada do prédio do CIEE, na altura do número 146, da R. Tabapuã. Como se não bastasse o barulho em pleno dia de descanso, o pessoal resolveu incomodar todos os dias da semana, em plena madrugada São martelos, cerras, e muita gritaria, que atrapalham os moradores que como, eu, precisam acordar cedo para trabalhar. Como se não bastasse tudo isso, o mais surpreendente, é o descaso das autoridades. Resolvi telefonar para a delegacia do bairro, e reclamar do barulho, para minha surpresa, me disseram que nada podem fazer, e me deram o telefone do PSIU, que me disse a mesma coisa. Ou seja, estamos totalmente desprotegidos e desamparados. Não temos a quem recorrer, e somos obrigados a aguentar a falta de respeito e educação deste pessoal. Gostaria de saber, se a Associação, não poderia tomar alguma atitude, em relação a tudo isso."
Vera diz que "A Vieira de Moraes (NR: Campo Belo), uma das nossas mais importantes ruas, é para mim a principal, porque é onde trabalho e passo todos os dias. Mas está impossível!!!! Quando não são carros ocupando calçadas, são buracos, material de construção, caminhões betoneiras, etc. Mas o maior problema é a inclinação das calçadas de toda a rua. Todos os dias eu torço meu calcanhar quando ando por ela e uma amiga minha chegou a quebrar o pé por causa de uma torção. Imagine, eu sou uma jovem de 20 anos, se a minha mãe de 54 vir ao Campo Belo tem que escolher outro caminho para não  correr o risco. Infelizmente nossa rua está perigosa, temos nosso espaço totalmente voltado para interesse de quem não anda a pé e "precisa" colocar o carro na garagem ou estacionamento. Até entende-se a necessidade, porém é resolvível. Sei de Senhoras que sofrem para andar na Vieira de Moraes, os comércios que são a maioria tem que se conscientizar e rebaixarem suas fachadas para maior comodidade dos transeuntes.
Maria Thereza T reclama dos "Inimigos das Arvores alem de trucidar a pobre da coitada da Arvore (rua Rua Conde de Porto Alegre 1649 equina com a rua Demóstenes) , que estava sadia, lhes cortaram as raizes para pobre morrer de vez, porque as folhas os incomodavam , sujando seus carros importados, nao é um absurdo minha gente onde estamos, a Arvore era uma das mais belas do Campo Belo tinha mais de trinta anos, peço que alguma autoridade tenha a sensibilidade de punir esse CRIMINOSOS AMBIENTAIS apenas uma poda com amor bastaria ,nao bastando querem arrancar o que sobrou da coitada A natureza pede ajuda .Desde já obrigado pela antençao, ai vai o meu desabafo
Um vizinho reclama da pizzaria Massa Fina (Av João Carlos da Silva Borges, 897 esq. Rua Vicente Costilhas, Santo Amaro) que "permite que seus clientes estacionem os carros bem na esquina dessas ruas , podendo assim causar um acidente de conseqüências graves , no local foi instalada uma placa de proibido estacionar pela CET , mas misteriosamente essa placa foi REMOVIDA , ja reclamamos a CET Inúmeras vezes a pedir a recolocação da mesma no local , mas ate agora , foi tudo em vão , Espero poder contar com esse site , para que a placa volte ao seu devido lugar e que a mesma evite um acidente no local. Obrigado.
Juçara Monteiro " Gostaria de obter uma informação porque na verdade não sei a quem recorrer. A casa de esquina c/ a Rua Relva Velha e a Av. Frederico de Renne Jaegher tem uma Árvore tipo Cedro quase encostada ao muro. Acontece que esta Árvore deve ser muito velha e a mesma envergou para o lado das casas do outro lado da rua. Com as chuvas e ventos que vem acontecendo, a inclinação aumentou e acredito que a qualquer momento ela provocará uma tragédia caindo em cima de casas, carros, e fiação elétrica. Deus queira não atinja pessoas também. Por favor me orientem. Obrigada"
Cristiane L., queixa-se que as podas mal-feitas pela Prefeitura "depenam" completamente os galhos das árvores: "A Rua João de Souza Dias (entre as ruas A. Macedo Soares e Zacarias de Góes) é uma das ruas mais arborizadas do bairro - graças a Deus! - mas, apesar da campanha municipal de arborização de São Paulo, sinto que a própria prefeitura tem sido a maior vilã no bairro. Desde o início do ano, diversas árvores tem sido vítimas de podas mal-feitas, que "depenam" completamente os galhos e não deixam um único ramo verde no tronco, que fica suscetível a infestações por pragas e fungos e pode, assim, causar ainda mais danos à qualidade de vida de nosso bairro. Entendo por "poda" o corte dos EXCESSOS - dos galhos mais altos e/ou pesados que possam estar ameaçando de alguma forma a fiação aérea, a passagem de veículos e/ou pedestres ou pondo em risco construções como muros e residências. O corte do EXCESSO deve preservar a copa das árvores, que propiciam sombra aos moradores, pedestres e veículos, além de ornamentar a rua e servir de abrigo aos inúmeros pássaros que vivem na região. A "poda" promovida pelas equipes da prefeitura no bairro - e não apenas nessa rua - tem DESTRUÍDO por completo muitas dessas árvores que levarão ANOS para recuperarem sua folhagem. Acredito que não é necessário cortar todos os galhos, todos os ramos e deixar apenas um tronco pelado na calçada. Mantenham ao menos os galhos menores!!! Parte meu coração ver essas árvores sendo cortadas sem qualquer critério enquanto os passarinhos voam desesperados por sobre o tronco nu que resta depois que as equipes se vão. Tentei entrar em contato com a prefeitura, mas a resposta foi tão desanimadora quanto estas cenas que vêm se repetindo desde o início do mês de janeiro - sequer souberam me informar o porquê destes cortes e qual o critério utilizado para a poda desta maneira. Assim, gostaria de informar a todos os moradores que, como eu, querem preservar o verde de nosso bairro, que estou iniciando uma campanha solitária para preservação de nossas árvores, catalogando uma a uma e enviando a petição à prefeitura para que se proceda o cadastro das mesmas no banco de preservação, tornando-as imunes a esses cortes desmedidos. É um processo lento e burocrático, mas acredito que algum dia vamos todos agradecer por alguém ter tomado essa iniciativa. Caso mais alguém queira me ajudar nesse trabalho ou tenha alguma outra sugestão, peço que entre em contato por e-mail
Laercio Santos queixa " sobre a precariedade do asfalto da Av. Robert Kennedy, desde o Socorro, ate o Copo de Bombeiros,devido as chuvas e a má conservação do piso, haja buraco nas 2 pistas da esquerda, a Regional poderia ao menos fazer o tapa buraco no asfalto, isso evitaria despesas em nossos veículos com pneus e amortecedores . Laércio também reclama que nosso formulário tem um erro e não deixa ingressar corretamente o e-mail dele. Falha nossa!
Juçara Monteiro queixa-se: Há mais ou menos um ano fiz uma queixa neste veículo de comunicação, fui encaminhada p/ o Ver. Goulart que nada providenciou. Minha rua foi esquecida do mundo com buracos imensos os quais nós moradores da rua tampamos para podermos circular com nossos carros que mal conseguem entrar nas garagens. Não jogam mais pedriscos asfalto nem pensar!!! A Prefeitura começou a fazer Guia na Avenida que faz esquina e também largou pela metade. Tudo aqui é abandonado. Estamos precisando URGENTE de uma providência p/ que os buracos sejam fechados. Sob pena de a qualquer momento não conseguirmos circular p/ entrar em nossas próprias casas.
Carlos Antonio V., vizinho do Campo Belo, queixa-se que "estão maltratando as árvores locais, pondo venenos nas raízes, estão fazendo podas criminosas, sem nenhum critério em arvores sadias, só porque as folhas os incomodando,um tal Boliviano, que nao deve ter escrúpulos nem coração. É o fim da picada".
E. L. de F. queixa-se que "toda as quintas/sextas e sábados à noite, uma casa noturna de nome Café Vermont,localizado na esquina das ruas Pedroso Alvarenga com Campos Bicudo atrapalha meu sossego e de toda a vizinhança. Funciona com música alta e sem qualquer tratamento acústico. Sem falar da gritaria constante dos freqüentadores que perdura até o dia amanhecer, impossibilitando o sono de qualquer ser humano, mesmo para aqueles que tenham a audição reduzida, visto que os ruídos (música e gritaria) são infernais. Resumindo as irregularidades constatadas por mim, um cidadão leigo, em apenas uma noite: música alta após as 22h, falta de tratamento acústico e a gritaria histérica demasiadamente elevada.  Já acionei a Polícia Militar num sábado de madrugada e também já estive no 15o DP, porém não obtive nenhuma ajuda destes órgãos. Assim como muitos vizinhos, espero uma ajuda. 
Brunna L.S. queixa-se às autoridades competentes que " é um absurdo uma cidade como São Paulo ter apenas 4 caminhões de lixo de coleta seletiva. A causa das enchentes de nossa cidade é a falta de investimento da prefeitura em aliança com o governo do Estado em educação ambiental para reciclagem de lixo. Eu separo o lixo em minha casa e levo no supermercado Pão de Açúcar mas quem me garante que eles encaminharão para uma usina de reciclagem. Deve ser uma iniciativa da Prefeitura. O que faço com o lixo que eu separo ?? Por que não investir mais na coleta seletiva e fiscalização das empresas poluidoras, empregos de multas severas para quem efetivamente polui, vossas senhorias tem venda nos olhos e não querem enchergar o que está obvio.Para podermos ter uma cidade mais limpa e rios despoluídos.Gostaria de uma resposta..."
Roberto Oliveira queixa-se que não consegue " andar pela calçada nesse trecho da Cupecê (NR: do número 3.000 ao 8.000) são muitos camêlos, com suas barracas e o pior é o odor de ovo podre, pois existem barracas que vendem ovo e por ventura alguns quebram e fica um mau cheiro horrível"..
José Luiz Feres Lucarell, após desejar " bom ano ao pessoal deste site" (NR: grato !) queixa-se que "a mudança de sentido nestas ruas (NR: .Paes de Araujo e Pedroso Alvarenga, Itaim Bibi) está causando um caos nesta região. Eu gostaria de entender o motivo pelo qual os engenheiros do trânsito fizeram esta mudança tão repentina e no meu ver desastrosa. Se nas férias já está havendo dificuldade no trânsito imaginem na hora do rush de um dia normal.Podiam ter feito uma pesquisa entre os moradores da região para ouvir as opiniões.  Onde está a democracia tão pregada pela nossa prefeita.
Mario Almeida diz que já reclamou "com o Sub-prefeito de Santo Amaro, com o chefe de gabinete, com os assessores , mas parece que não tem jeito. O descaso com os munícipes é tamanho que eles não estão nem ai. Toda vez que eu ligo para o telefone 5548-6333 ele chama e ninguém atende. É necessário ligar no mínimo umas 20 vezes para sermos atendido! Uma vergonha! Esta pior do que no governo Pitta/Maluf!"
Nota da Redação: sim, há vezes que o 5548-6333 não atende. Parece que a central de PABX é pré-histórica.
Suzan G.Scabar queixa-se: Tenho enviando vários e-mail para a regional de Santo Amaro, pedindo a troca de bueiro em frente a minha casa (Rua Pensilvania, 1110). Trocar da calçada para junto da guia. Pois, toda vez que eles vêem limpar o bueiro e tiram as duas tampas e jogam na calçada eles quebram toda calçada. Já cansei de consertar a calçada. A última vez que eles limparam, faz pouco tempo, deixaram a tampa mal encaixada (lógico tudo quebrado não encaixa mesmo) o que oferece um grande risco para os transeuntes, que ainda podem me processar se levarem um tombo. Se vocês puderem reforçar eu agradeço. E.T. As duas tampas da esquina da Guaraiuva com a Pensilvânia também estão fora do lugar podendo provocar acidentes também.
Marco Zelic queixa-se: "no dia 15/01/03 logo de manhã, uns 10 funcionários da prefeitura + caminhão lotado de asfalto+rolo compressor etc, etc fecharam a rua Nilci Lima Martins a fim de tapar os buracos que lá se encontravam. Até aí tudo bem.Fui trabalhar até com um sentimento de "poxa será que as coisas estão mudando?
Mas.....na volta fiquei surpreso, pois nunca vi tamanha PORCARIA,INCOMPETENCIA, DESCASO, além de logico,QUEIMA DO DINHEIRO PÚBLICO.Senhores esta rua não tem 200m,e o que esta turma fez foi um verdadeiro tabuleiro de xadrez por toda a rua.Venham ver pelo amor de Deus!!!!!POR NÃO A RECAPEARAM POR INTEIRO? O MAIS INCRÍVEL E INACREDITÁVEL foi que a merda da SABESP FEZ NA SEMANA PASSADA UM BURACO PARA CONSERTAR UM CANO E APÓS O TAPA BURACO DA PREFEITURA TER FEITO ESTA OBRA DE ARTE, O BURACO C O N T I N U A ABERTO PORRRRRRAAAAA!!!! Se vocês tem algum comprometimento com o nosso bairro, venham aqui e fotografem e ajudem a acabar com este serviço PORCO E CARO Além do que, gostaria de saber como é que funciona esta pouca vergonha que é o serviço de asfaltamento E TAPA BURACO. Pedi ajuda a os vizinhos e estou em contato com jornais, rádio e televisão.
Quem sabe esta porcaria e toda a estrutura que suporta este serviço é desativado e que se faça algo decente.
Uma vizinha queixa-se que "É impossível transitar na Rua Joaquim Nabuco, no trecho entre a Av. Santo Amaro e a Rua Barão do Triunfo, em dias de chuva de moderada a forte. A rua transforma-se em uma verdadeira cachoeira e os pedestres têm de optar por andar na enxurrada ou no meio da rua, correndo o risco de serem atropelados, como aconteceu comigo na última sexta-feira, 10/01/03 (os motoristas não estão nem um pouco preocupados se você não consegue andar pelas calçadas inundadas...). Pergunto: quem pode tomar providências a respeito? O que pode ser feito? Moro na região há três anos e sempre quer há chuva forte acontece o mesmo.
Sandra R. B. "queria saber como vai ficar com os lixos no escadão (NR: na Rua Nelson Brissac) , entrará em vigor o pagamento de imposto referente ao lixo só que neste local, não temos gari, e a população daquela região e extremamente suja, então eu não acho justo pagar por um tipo de imposto, e o meu bairro continua sujo.
André queixa-se que na Rua Vicente Costilhas (Brooklin), altura do número 40, há um buraco "no meio da rua."
Jean Paul M. queixa-se que "está impossível transitar" pela Rua Uruçu, no Brooklin: "São caminhões impedindo o transito caixas de mercadorias nas calçadas, lixeira com cheiro insuportável atraindo insetos e animais e guardadores de carros fumando maconha na calçada em plena luz do dia. Alguém pode nos ajudar?"
Nota da redação: A responsabilidade pelo estacionamento irregular de caminhões, assim como pela coleta de lixo, é do Governo Marta Suplicy (CET e LIMPURB, respectivamente). Talvez agora, com as taxas que começarão a ser cobradas da população, melhore alguma coisa. Quando ao consumo de maconha, é um problema da segurança pública (Governo do Estado), mas entendemos que atualmente a legislação pune o tráfico, não o consumo de drogas leves, e o fato de consumir maconha não é motivo decretar a prisão de ninguém (pelo menos isso é o que ouvimos em várias reuniões de Conselhos Comunitários de Segurança).
Uma vizinha queixa-se que no final da R. Ministro Junqueira Ayres (Interlagos) "tem um córrego e bem próximo um ferro velho, onde tem várias carcaças de carro abandonados na porta dos vizinhos, ou seja ás vezes mal podemos estacionar o carro em nossas garagens, eles tomam conta da rua ......e além do mais são pessoas (homens), mal encarados, que ficam fumando maconha, não podemos sair de nossas casas em paz , nem dormir direito, pois 6:00 horas da manhã, já começa um barulho absurdo".
Waldomiro Almeida Junior queixa-se dos fumantes no Shopping Ibirapuera: "Gostaria primeiramente de saber se a legislação sobre a proibição de se fumar em shoppings está em vigor? O Shopping Ibirapuera liberou o cigarro em todas as suas dependências sem exceção. Não existe respeito aos não fumantes, que são maioria. Até os funcionários de lojas fumam nos corredores. Sugiro que seja enviado um comunicado à direção do shopping e ao orgão fiscalizador para que tomem as providências cabíveis. Obrigado."
Uma vizinha queixa-se de barulho na Av. Santa Mônica: " Ensaio de bloco de carnaval, pelo menos três vezes na semana, sem hora para acabar. Aos sábados temos que aturar a barulheira até 3:30 ou 4:00 da manhã. Várias reclamações foram feitas junto ao PSIU sem resultado algum. Faço essa queixa anonimamente, pois moradores já foram ameaçados por terem feito reclamações."
Uma vizinha queixa-se que na Av. dos Bandeirantes, perto da Rua Kansas, "entre loja de telhas e tijolos e clínica de fratura, há, clandestinamente funcionando, um prostíbulo no local aonde deveria existir 1 estacionamento. Travestis e prostitutas distribuem panfletos nas ilhas da av. bandeirantes. O barulho da música desta boite é muito alto durante toda a madrugada, inclusive às 2ªs feiras. Geralmente, este tipo de "comércio" atrai o comércio clandestino de drogas, o que me apavora."
Waldomiro Almeida Junior queixa-se: "Até quando as imobiliárias vão emporcalhar as vias públicas e postes de Moema com suas placas de propaganda? É preciso tomar uma rápida e enérgica atitude contra essa propaganda irregular feita gratuitamente pelas imobiliárias.Sabemos que as construtoras, incorporadoras e imobiliárias faturam alto com a venda de imóveis. Por que então elas não fazem propaganda paga nos meios de comunicação disponíveis?
Precisamos tomar medidas sérias e eficientes para acabar com essa prática de transformar as vias públicas em quintal de propaganda.
Sugiro, primeiramente, um mutirão particular para retirada das placas das ruas, com o apoio da AMAM e de entidades de defesa de Moema. 
Também deve-se informar os órgãos competentes da PMSP para que tomem as medidas cabíveis."
Nota da redação: nunca é tarde para lembrar as promessas feitas pelo Partido dos Trabalhadores:
  • "Secretário diz que poluição visual diminui em 8 meses ", (Jornal O Estado de São Paulo, Outubro 7, 2000. Leia).
  • "Marta decreta guerra à sujeira e poluição visual" (Jornal O Estado de São Paulo, Janeiro 5, 2001. Leia)
  • "Poluição visual: o alvo nº 1 do Belezura"  (Jornal O Estado de São Paulo, Janeiro 5, 2001. Leia)
  • "A prefeita Marta Suplicy promete ser implacável com a questão da poluição visual. Comerciantes que estiverem usando faixas, placas e banners que não estejam de acordo com a legislação, serão severamente punidos". (Gazeta de Santo Amaro, edição de 17 a 23 de Fevereiro de 2001, N° 2109).

Claudia Toselli, assessora de imprensa da Subprefeitura de Vila Mariana, responde: "Com referencia ao assunto tratado acima, informamos que toda e qualquer propaganda feita pelas imobiliárias não é gratuita não, ou seja, pra que possam afixar esse tipo de publicidade, é formalizado processo de autorização junto a Municipalidade, recolhido as devidas custas e somente então autorizado em locais determinados. Aqueles que se encontram em situação irregular, que não obedeçam a estes tramites, são rigorosamente recolhidos por nossas equipes de apreensão".

Waldomiro Almeida Junior queixa-se: "Estabelecimentos comerciais de Moema estão utilizando ilegal e irregularmente as calçadas como estacionamento para os seus clientes,obrigando a que os pedestres transitem pelas ruas, correndo o risco de serem atropelados.Além de todo esse abuso e agressão, considero uma tremenda falta de respeito com a população do bairro. Vale citar como exemplo de estabelecimentos comerciais infratores: loja de chaves/maçanetas da esq. da Al. dos Arapanés c/ Av. Pavão; Pizzaria Verdes Lírios na Rua Gaivota; Restaurante Don Peppito na esq. da Ibijaú c/Gaivota, etc.
Peço a colaboração do Site e da AMAM, para que enviem comunicado a todos os estabelecimentos que praticam essa infração, bem como à fiscalização do DSV.
Agradeço antecipadamente pelas providências."
Nota da redação: Lei é que não falta. A própria Marta Suplicy sancionou a Lei 13.310, que devolve ao pedestre o direito de transitar pelo passeio sem ter que desviar de veículos estacionados em recuos de imóveis e estabelecimentos. Leia: http://www.sampaonline.com.br/sim/sim_lei13310.htm. O que falta é faze-las cumprir.
Nota da redação: Claudia Toselli, assessora de imprensa da Subprefeitura de Vila Mariana, responde: "Todas as ações fiscalizatórias referentes ao assunto tratado abaixo são adotadas por esta Subprefeitura. Entretanto, lembramos que quando um auto é estacionado sob o passeio, cabe apenas ao CET a punição ao infrator, uma vez que somente aquele órgão pode autuar os veiculo que se utilizam desta prática. A nós cabe a intimação aos estabelecimentos comerciais para que coíbam tal prática, o que procedemos com certeza". 
Luiz Gorenstein queixa-se: "Uma academia localizada neste endereço (Rua Brito Peixoto 451), produz um barulho infernal durante as aulas. A música é tão alta que é possível ouvi-la em outra rua (Exemplo Rua Francisco Dias Velho) além de ser extremamente repetitiva. Há dias em que passamos mais de 3 horas sendo expostos à um nível de ruído que não nos permite escutar rádio, assistir televisão, ler e descansar. O microfone dos professores também é muito alto e praticamente participamos das aulas involuntariamente. Muitas vezes esta mesma academia faz festas em seu estacionamento localizado em um belo terreno ao lado , repleto de árvores e rodeado apenas por residências já que a região era Zona 1 e creio que agora com o plano diretor será Zona Residencial.
Não sou contra a instalação da academia no local , até porque desde de 1971 já funcionava ali uma escola de natação , porém no ano passado a mesma foi vendida e esta academia instalou-se no local porém a estrutura de escola de natação foi mantida e por isso o som vaza do estabelecimento tão facilmente.
Por favor nós os moradores das Ruas Brito Peixoto , Francisco Dias Velho e Godoi Colaço principalmente nas casa adjacentes à academia estamos ficando loucos. Já ligamos no PSIU porém até hoje a situação não foi resolvida. Muito Obrigado pela atenção e parabéns pelo Site !
E.M.K, que mora na Rua Azevedo Soares, queixa-se: Ao lado da minha casa, na esquina, abriram uma igreja evangélica. Desde então tem sido o inferno, com os freqüentadores cantando a um som altíssimo, prejudicando a todos na redondeza. Já fiz minha denúncia no PSIU, mas gostaria de saber, não existe lei que estabelece alguma distância MÍNIMA entre esses tipos de estabelecimentos e uma residência? pq é literalmente DO LADO, dividimos a parede com a igreja. Obrigado a qualquer um que possa me ajudar.
Nota da redação: Leia: Qual foi a posição do seu vereador na votação do substitutivo ao Projeto de Lei N° 203/01 sobre o abrandamento da Lei do Silêncio para templos?
Rosana M.V. queixa-se: Moro na Av. Brig. Luís Antônio, a uma quadra da Av. Paulista, e hoje, domingo, por volta das 17h, fui surpreendida pelo barulho de uma britadeira... Sim, em pleno domingo a tarde. Como se já não bastasse suportar o barulho e poluição dos ônibus com seus motores desregulados, e toda sorte de poluição sonora que está sujeito quem, como eu, mora em uma avenida movimentada, agora também tenho que suportar barulho de britadeira em pleno domingo. Gostaria de saber se não existe uma proibição legal, se posso reclamar a algum órgão público.
Nosso colaborar, o Eng. Carlos Nunes, responde: "O gigantismo e grandeza desta Cidade e de seus cidadãos põe a Prefeitura em situação complica, se não vejamos: O CET, para não provocar enormes congestionamentos na Cidade, somente autoriza execução de obras nas vias públicas à noite, depois das 22h até 5h horas ou de sábado após as 13h horas até segunda às 5h. Perfeito, resolveu o problema de não congestionar e portanto não irritar milhares de pessoas por causa da obra. Perfeito? E os moradores? Como ficam? São obrigados a suportar, na sua hora de descanso ou lazer barulhos infernais de obra como vc está comentando? Pois é, o CET entende que sim, pois a maioria está sendo beneficiada e, portanto, não estão agindo errado. Será? Reclame oficialmente no site da prefeitura www.prefeitura.sp.gov.br para verificar o que respondem caso o problema não seja resolvido. Na resposta me coloque à par para que continue a orientá-la".
Lucia Helena J.M queixa-se:
1.A valeta de entrada da Rua onde moro - as águas da Rua Nebraska escorrem por ela à anos e o buraco vem se acentuando - logo será impossível entrar de carro na Rua.
2.O comércio local que estaciona em frente ao portão de minha Rua ou na esquina impossibilitando o direito de ir e vir dos moradores de nossa Rua.
Cristina L. Q. queixa-se: Ja solicitei varias vezes uma providencia junto a CET para ser tomada alguma atitude referente este cruzamento (Rua São Canuto no cruzamento com a Rua José Furgol), pois esta rua depois que foi aberta com sentida Shopping INterlagos o transito ficou muito perigoso para pedestres e para automóveis tambem. Este cruzamento é um atalho para sair e ir para o Shopping Interlagos, fugindo da Avenida Interlagos. A CET alega que nao tem movimento, so que o movimento é nos horários de pico e finais de semana. 
Nota da redação: Foi instalado um semáforo no local.
Jorge Henrique Grassmann queixa-se: "Esta têm por objetivo mobilizar os moradores do Jardim Promissão em Santo Amaro, no combate ao pernilogo comum (culix), que está em franco desenvolvimento de sua população. Infelizmente nosso bairro foi tomado pela presença indesejável deste inseto que reconhecidamente é vetor de doenças e pode, além do desconforto, causar uma epidemia na região. Apesar de reclamar na regional de Santo Amaro, por três vezes , as medidas tomadas pelo poder públicas, provaram-se inócuas. Solicito ajuda de Vsas, no sentido de orientar-me ou indicar-me maneiras de obter maior deferência do poder público na questão.

Portal Sampa Online (http://www.sampaonline.com.br): o maior e melhor portal dos bairros da Zona Sul de São Paulo